terça-feira, 16 de outubro de 2012

“Contação de Histórias: Trabalhando com Fantoches”



Trabalhando com Fantoches na Contação de Histórias. 


Sinopse do livro:
A caminho da casa da vovozinha, o menino Chapeuzinho Vermelho, que de fato se chama Tomas, para no caminho para colher maçãs na floresta. O Lobo Mau rouba seu casaquinho e consegue enganar a distinta vovó, que mora numa casa muito chique. Após comer a vovó e tentar comer Chapeuzinho, o lobo, tratado nesta obra de forma politicamente correta, é convencido a tomar um famoso refrigerante muito borbulhante, o que acaba por salvar a avó e Chapeuzinho, além de tornar o lobo dependente da bebida. A autora ambientou a história no século XVIII, uma época em que se usavam grandes perucas e vestidos acetinados. O mobiliário e o vestuário são europeus e norte americanos, pois a família de Chapeuzinho Vermelho teria sido de pioneiros ingleses no Novo Mundo, e a Vovó é rica e requintada. Quer saber mai?
                                                                                                                 fonte: http://books.google.com.br
Quer saber mai?  leia o livro e conte para os seus alunos.


O trabalho com fantoches

     O fantoche é um instrumento muito importante no processo de aprendizagem, pois, é um excelente auxiliar na arte de contar história, nesse caso  ele deixa de ser um simples boneco quando utilizado pelo contador. O fantoche transforma o personagem em uma criatura real, capaz de expressar emoções, reações e até mesmo sentimentos, por meio dos gestos e da voz de quem os manipula.
    A criança ao ouvir e se encantar com o fantoche vive um momento de magia, onde ela acredita na vida própria do boneco ,vindo a brincar e dialogar com ele esquecendo até mesmo que ele está sendo manipulado por uma pessoa.
   Neste trabalho realizado na biblioteca a assistente Edimara, fez a leitura do livro postado acima e achou interessante recontar a historia por meio de fantoches.
    Matos (2206) afirma que cada vez que uma historia é contada, mesmo que por várias vezes, é unica , pois o contador e a platéia  nunca são os mesmos. Portanto  vamos explorar ao máximo esse material tão rico em magia e efeitos especiais.
  Fazer fantoches é o ofício mais bonito do mundo. Rodari (1982)




A criançada se divertiu muito e também interagiu com a historia, algumas vezes dialogando com os personagens.

Um comentário:

  1. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir